Arquivos para Oficinas Autocompaixão

A Comum está preparando um lindo encontro de imersão em Autocompaixão com a Caroline Bertolino. Vejam só que lindeza!

Sabemos ser ótimas amigas. Estamos disponíveis para ajudar, cuidar, abraçar e dar conselhos carinhosos para quem está ao nosso redor. Mas temos grande dificuldade em sermos gentis com a gente, com o nosso mundo interno, com a nossa realidade. Nos julgamos, nos chibatamos e nos culpamos com mais frequência do que nos aceitamos e acolhemos.

O mundo nos ensina, desde sempre, que precisamos ser eficientes, perfeitas, boas no que fazemos. Que precisamos atender à várias expectativas. Ser boas filhas, estudar e tirar as melhores notas na escola para entrar numa boa universidade, depois conseguir um emprego que permita conquistar uma série de coisas. Precisamos casar, ter filhos, ser mães incríveis. Precisamos cuidar da saúde, ter uma vida espiritual. Precisamos viajar e conhecer outros lugares, comprar um imóvel, trocar de carro periodicamente. E assim por diante, incessantemente.

Sempre tem algo a ser conquistado. Não somos ensinadas a estar satisfeitas com o que temos, a precisar de menos para ser felizes, a apreciar as nossas próprias qualidades.

Pelo contrário: somos incentivadas a buscar uma felicidade que parece estar sempre fora do nosso alcance e, pior ainda, aprendemos a nos enxergar por comparação com outras mulheres.

Nossa auto-imagem vai sendo construída a partir de referenciais externos: nos sentimos bem conosco se estamos melhores em comparação à algumas pessoas. Aprendemos a competir desde muito cedo e vamos flutuando nossa percepção de nós mesmas conforme esses referenciais que adotamos. E aí fica impossível.

Não tem como, por comparação, nos sentirmos bem o tempo todo. Vai sempre existir alguém que tenha algo que não temos – seja uma relação, seja um carro, status ou aparência. Nos sentimos inferiores, nos isolamos, nos sentimos inadequadas, e temos vergonha de falar sobre isso. Como se o problema fosse unicamente nosso, enquanto, na verdade, ele é compartilhado por outras tantas mulheres.

Veja mais sobre este assunto aqui.

Imersão: Autocompaixão em São Paulo

Uma imersão de dois dias (27 e 28 de agosto), em São Paulo, guiada pela Carol Bertolino e só pra mulheres. Aberta pra assinantes e não assinantes. Saiba mais e se inscreva aqui. 

 

self-love

“Ao responder à nossa dor com gentileza, afeto e conexão, ao nos acalmarmos e nos confortarmos quando estamos diante da imperfeição de nossas vidas e de nós mesmos, criamos emoções positivas que não estavam conosco antes. Ao invés de simplesmente nos sentirmos inadequados, passamos a nos sentir também conectados por lembrarmos dessa condição humana que compartilhamos. Ao invés de simplesmente sentirmos tristeza, sentimos também a ternura presente na atenção a uma ferida que precisa ser curada. Ao invés de simplesmente sentirmos medo, sentimos também o conforto do nosso carinho e gentileza. Ao nos tratarmos com compaixão, abraçamos nossas emoções negativas em um espaço cheio de bons sentimentos. Isso significa que em cada momento de dor existe também um potencial de contentamento. A dor pode ser uma porta para a felicidade, uma vez que sentir-se amado, cuidado e conectado é o que realmente nos faz feliz.”

– Kristin Neff

 

A oficina “Autocompaixão” é baseada no programa Mindful Self Compassion e pretende abordar, na teoria e na prática, os seguintes assuntos:

o que é autocompaixão e no que difere de autoestima, autoindulgência e autopiedade;
o cultivo de autocompaixão como caminho para a compaixão e felicidade genuína;
gentileza e bondade consigo x autocrítica e autojulgamento;
reconhecimento dos aspectos comuns a todas as pessoas x isolamento;
atenção plena x superidentificação com pensamentos e emoções;
como lidar com a autocrítica e com as emoções;
autoimagem negativa e os benefícios da autoapreciação.
Embora seja indiretamente terapêutica, a oficina pretende ser preventiva e pedagógica, pois possibilita a instrumentalização com ferramentas baseadas em práticas contemplativas que podem ser praticadas diariamente.

Estudos têm demonstrado os seguintes benefícios da autocompaixão:

  • redução dos sintomas de estresse e depressão, assim como outros sintomas de adoecimento mental;
  • diminuição da autocrítica e da sensação de isolamento;
  • aumento da liberação do hormônio ocitocina no corpo, responsável pelo prazer e pelas emoções prazerosas;
  • aprofundamento da conexão entre as pessoas, ampliando comportamentos pró-sociais, como a compaixão e a empatia;
  • de modo geral, a pessoa se sente mais confiante em seu potencial de transformação, reconhece suas potencialidades e dificuldades, percebendo-se de forma mais realista, e se torna capaz de trabalhar com as situações complicadas sem cair tanto nos extremos do autocentramento — os dois lados da autoestima: a euforia e a depressão.

Quem vai oferecer o curso?

 

carol

Caroline de Oliveira Bertolino é mestranda da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Professora certificada pelo Santa Barbara Institute for Consciousness Studies no programa Cultivating Emotional Balance Teacher Training 2013. Habilitada no Mindful Self Compassion Teacher Training 2015 pela UCSD Center of Mindfulness.

Tem formação em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos e pós-graduação em Arteterapia pelo NAPE. Também é habilitada pelo Instituto Social Pichon-Riviére para desenvolvimento e coordenação de grupos. Atua nas esferas institucional e educacional para a promoção da saúde mental individual e coletiva.

Quando: 19/12, das 9h às 18h e 20/12, das 9h às 12h.

Onde: Rua General Osório, 48 – Jardim Maringá – São José dos Campos. (Espaço Manipura)

Valor: 200,00 (podendo ser parcelado em até 2x)

 

Limite de participantes.

Em caso de dúvidas, enviar e-mail para autocompaixao@gmail.com

Formulário de inscrição: http://bit.ly/autocompaixao_sjc